Fotografia de gastronomia: como tirar fotos de comida perfeitas

Dezembro 08, 2017

food photography tips

Uma das novas certezas da vida conectada é que você vai esbarrar com diversas fotos de comida quando for conferir seu feed no Facebook ou no Instagram. Desde líderes mundiais, celebridades, até a sua tia Maria: todo mundo posta fotos das delícias que estão prestes a saborear.

Embora as imagens de hambúrgueres suculentos, coxinhas bem recheadas e bolos de arco-íris possam parecer besteira para uns, a fotografia de gastronomia é essencial para outros.

Negócios como restaurantes, food trucks, padarias, mercearias e tantos outros podem crescer graças à qualidade das suas fotos gastronômicas. Uma imagem que capta perfeitamente (ou não) a essência de um prato é capaz de promover ou arruinar um produto, um artigo de blog ou a própria estratégia de marketing para mídias sociais de um negócio de alimentação, podendo representar a diferença entre o sucesso nas vendas e o fracasso total.

É por isso que é importante garantir que a qualidade da sua fotografia de gastronomia atenda aos padrões esperados pelos seus clientes. No entanto, não se preocupe em contratar um fotógrafo profissional ou alugar equipamentos caros para clicar boas fotos de comida: você conseguirá tirar fotos com uma aparência profissional usando simplesmente a câmera do seu smartphone.

Em outras palavras, fotografar comida tem menos a ver com equipamentos; trata-se de saber destacar a beleza estética dos seus pratos e alimentos através de quatro elementos: 

  • Montagem (também conhecida como plating): a disposição da comida que você pretende fotografar.
  • Iluminação: como você usa a luz para mostrar o lado fotogênico da comida.
  • Composição: ou seja, o enquadramento da foto.
  • Edição: os retoques que podem ser feitos antes de postar uma foto.

Vamos aprender a usar esses quatro elementos a favor das suas fotos?

Não consegue tirar suas próprias fotos de comida? Sem problemas! Baixe uma série de fotos gratuitas no Burst!

Montagem

Os chefs de cozinha usam o termo plating para descrever a disposição estética do alimento a ser fotografado. O plating pode parecer inútil quando acreditamos que o sabor da comida não é afetado pela forma como ela é apresentada no prato — e nós não poderíamos estar mais enganados.

Um estudo realizado pelo Departamento de Psicologia da Montclair State University descobriu que, quando os alimentos eram apresentados às pessoas de forma bem pensada no prato, elas eram mais propensas a melhor avaliar o sabor da comida e o cuidado no preparo. Isso comprova que o ato de comer é uma experiência sensorial mais complexa do que imaginamos. Talvez seja por isso que os chefs gastem tanto tempo pensando na melhor forma de montar suas iguarias nos restaurantes.

Por outro lado, a apresentação de um prato é, sem dúvidas, mais importante ainda quando ele será fotografado. Apostando em apenas uma imagem, o plating é o primeiro passo para criar a ideia de que a comida clicada é tão deliciosa no restaurante quanto ela aparenta ser na foto.

Assim, se você pretende tirar uma foto do seu prato de comida, monte-o com estilo, levando em consideração as ideias abaixo:

1. Defina a estética da foto: se você quer fotografar uma refeição que tenha um ar mais natural (uma salada ou uma sopa), não tem problema ser mais despojado com a montagem do prato, mas isso não significa que os alimentos devem ficar largados de qualquer jeito. O objetivo aqui é encontrar um cenário natural para esse tipo de refeição, como um jardim florido ou uma floresta com árvores frondosas e diferentes entre si.

Caso vá fotografar elementos fora do comum, como smoothies de arco-íris ou um bolo galáctico, aposte em um fundo clean e organizado. Para chamar a atenção para esse tipo de comida/bebida, é preciso buscar um equilíbrio entre as cores e a precisão nos contornos de cada objeto que compõe a foto, assim como é feito nas pinturas, desenhos e esculturas.

A post shared by Amina Mucciolo (@studiomucci) on

2. Escolha a superfície certa: tábuas de corte de madeira e mesas de piquenique dão um ar mais rústico à foto, sendo ótimas superfícies para fotografar refeições mais caseiras, como hambúrgueres e batatas fritas. Já os pratos brancos destacam os alimentos coloridos. Portanto, escolha os pratos que mais combinam com a estética do alimento e que façam seus traços apetitosos sobressaírem.

A post shared by Charles (@fastgoodcuisine) on  

3.Comece pelo meio: para clicar uma foto simétrica, comece a montar o prato do meio do enquadramento para as laterais.

4. Pense como um artista: os chefs profissionais usam colheres, borrifadores, pinças e até pincéis para decorar detalhadamente seus pratos, como verdadeiros pintores debruçados sobre suas telas. Assim, não tenha medo de aproveitar os molhos e as texturas dos alimentos para dar um toque artístico ao seu prato. 

A post shared by Mumbai Foodie™ (@mumbaifoodie) on  

Muitos fotógrafos gastronômicos têm um kit para montagem e decoração de pratos: uma série de acessórios e ferramentas que ajudam a ajeitar os alimentos para serem fotografados. O kit geralmente inclui pinças, toalhas de papel, cotonetes e outros itens que permitem dispor meticulosamente os elementos que vão compor a sua fotografia.

Depois de deixar o prato pronto e montado para ser clicado, é hora de pensar na disposição e composição da fotografia em si.

Iluminação

Uma boa iluminação é o segredo para fazer sobressair as texturas e o equilíbrio de cores na fotografia de gastronomia. Pense bem quais partes da refeição você quer destacar na foto para escolher a luz certa para o clique. Talvez você queira mostrar a suculência de um corte de carne recém-cozido ou a textura única de um queijo fatiado com perfeição.

Seguem algumas dicas para obter a melhor iluminação para a sua fotografia:

1. Ilumine pela lateral:esse é um ótimo jeito de gerar sombras e áreas iluminadas em determinadas texturas de alimentos, como o pão, a carne e o queijo. Considere essa estratégia ao clicar refeições que misturam uma variedade de texturas, como sanduíches e hambúrgueres. 

A post shared by @food_glooby on

2. Cuidado com a sombra dura:você quer que as texturas da refeição sobressaiam, mas as sombras duras podem ser um problema, deixando a foto pouco atraente e nada apetitosa. Ao perceber muitas sombras duras no quadro da foto, tente ajustar o ângulo de luz ou a própria câmera para equilibrar o sombreamento e destacar as texturas do prato.

3. Use uma luz suave e difusa: evite a geração de sombras duras com uma iluminação mais leve. Se for fotografar sob a luz natural, prefira enquadrar a foto próxima a uma janela em um dia nublado. Caso as fotos sejam feitas em um estúdio, experimente usar uma superfície reflexiva para difundir a luz natural ou artificial no objeto fotografado.
    4. Evite a iluminação frontal:a iluminação por esse ângulo tende a criar pontos de luz dura na imagem, impedindo o contraste nítido das diferentes texturas de alguns alimentos na fotografia. Esse efeito pode fazer com que a refeição fotografada tenha uma aparência chapada, monótona e sem sabor.

    Composição

    Prato montado, luzes acesas e a postos, é hora de pensar no enquadramento fotográfico. Não tem certo ou errado nesse quesito, porém, existem algumas diretrizes fotográficas importantes de se considerar se você está em busca do clique que melhor realce as qualidades de um alimento ou refeição.

    1. Ângulos:pense em qual parte da comida você quer destacar. Por exemplo, ao fotografar um sanduíche, experimente cortá-lo ao meio para fotografar sua lateral, mostrando suas variadas texturas e a suculência da carne.

    Mas tenha cuidado: fotografar pela lateral não funciona para todos os tipos de refeição. Saladas e frios saem melhor na foto se fotografados de cima, de forma plana e objetiva, para realçar a complexidade de arranjo dos elementos.

    A post shared by Zimmy's Nook (@zimmysnook) on


    Evite fotografar alimentos de frente, por um ângulo que vem debaixo. Esse erro é muito comum na fotografia de gastronomia porque esse costuma ser o primeiro ângulo em que alguém vê um prato de comida ao ser servido na sua frente. É justamente por isso que as fotos batidas a partir desse ângulo de visão não são muito atrativas. É claro que há exceções a essa regra, mas em geral, é raro conseguir realçar os contornos e texturas de uma refeição desse jeito.
      2. Cor: pense em como as cores da fotografia funcionam juntas e se mesclam, e como elas combinam com a estética da sua foto. Experimente acrescentar acessórios ou texturas e padrões interessantes em cores complementares buscando manter a harmonia cromática da imagem.

      A post shared by Phoebe Conway (@pheebsfoods) on


      Lembre-se de manter suas fotos saturadas, com uma composição geral formada por cores quentes. Estudos comprovam que determinadas cores desencadeiam reações sensoriais no cérebro que aumentam o apetite. Assim, as cores mais quentes (tons de vermelho, laranja e amarelo) são ideais para estimular os sentidos. Já as variações de verde emprestam um ar mais orgânico e natural às imagens.

      Por outro lado, evite usar cores frias e duras (azuis e roxos). Isso não significa que uvas e mirtilos não servem para agregar valor e realçar outras cores em uma imagem! De todo modo, evite colocar filtros frios em suas fotos. A maioria dos alimentos, especialmente as carnes e queijos, fica pouco apetitosa sob um brilho azulado.
        3. Foco seletivo e profundidade do campo:o foco é outro elemento interessante a levar em consideração na fotografia de gastronomia. A profundidade do campo é a distância entre os objetos enquadrados e a forma como o foco realça as partes do alimento que estão mais próximas da câmera. Do mesmo jeito que algumas comidas têm ângulos melhores que outras, elas também têm pontos que ficam melhores na foto quanto maior o foco sobre eles.

        Experimente fotografar uma refeição com muito foco, contrastando com um fundo mais ofuscado. Além disso, brincar com a profundidade de campo das suas fotos é uma ótima estratégia para realçar ainda mais os alimentos texturizados—esse efeito funciona principalmente com pratos de massa.

        A post shared by Pasta (@pasta) on

          Edição

          Depois de tirar suas fotos, faça pequenos retoques nas imagens com um software de edição de imagens (existem opções gratuita e pagas disponíveis). Não precisa pegar pesado na edição, mas tenha em mente que algumas alterações pontuais e cuidadosas no equilíbrio das cores e do sombreamento dão uma aparência mais profissional e polida para as suas fotos.

          Segue abaixo o exemplo de uma foto que ainda não foi retocada:

          food photo before photoshop

          Perceba que a montagem dos pratos ficou ótima, com uma composição bem equilibrada. Todos os elementos estão bem iluminados, tornando essa imagem uma excelente candidata a uma fotografia de gastronomia, mas vamos dar uns retoques nela para que o seu sabor transpareça na foto.

          Siga o passo a passo de edição que usamos nessa imagem para tratar as suas próprias fotos:

          1. Aumente a nitidez da imagem:se você fotografou com uma câmera fixa e iluminação clara, a sua imagem já é nítida. Porém, com pequenos ajustes na nitidez, você deixará os contornos dos elementos mais definidos, facilitando a diferenciação dos aspectos da sua imagem.

          sharpening a food photo in photoshopNo Photoshop e em outros programas de edição de imagens, é possível tratar a nitidez com os filtros Unsharp Mask. Eles aumentam o contraste entre os pixels adjacentes, definindo melhor os contornos da sua imagem.
          unsharpen mark on food photo in photoshop
          Os filtros Unsharp Mask vêm com três opções de ajuste:

          Raio (Radius): controla quantos pixels adjacentes às bordas de alto contraste vão ser afetadas pelo filtro. Se a foto tem poucos objetos grandes, aumente esse parâmetro para aproximadamente 2. Já em imagens com objetos mais misturados entre si, com contornos mais nítidos, defina um raio menor, entre 0,05 e 1. Na imagem do exemplo, usamos um raio de 0,7 porque há muitas linhas nítidas nos pratos fotografados. 

          Intensidade (Amount): controla o quanto de contraste será aplicado às bordas da imagem. Para fotos de comida, o ideal é manter esse parâmetro no mínimo. Muita nitidez pode emprestar um ar “áspero” às fotos, e embora isso funcione para alguns tipos de clique, na fotografia de gastronomia o efeito é contrário, deixando os alimentos pouco apetitosos.

          Limiar (Threshold):determina o quanto da imagem será afetado pelo filtro. O valor zero fará com que o filtro seja usado em toda a imagem. Ao ajustar esse limite, as áreas de alto contraste da foto vão ficar mais nítidas enquanto as áreas de menor contraste não. 

          No exemplo acima, mantivemos o limiar em zero porque a abundância de linhas da imagem é beneficiada por um limiar menor, mas fique à vontade para aumentar esse parâmetro se a sua foto tiver objetos maiores e poucas linhas.

            2. Corrija o equilíbrio de branco (white balance):o equilíbrio de branco é a tonalidade das partes brancas da sua foto. Ao corrigi-lo, é possível “aquecer” ou “esfriar” uma imagem dependendo do quanto de ajuste é feito.

            Na fotografia de gastronomia, usar um branco mais quente deixará a comida mais apetitosa do que sob uma luz mais fria:


            O equilíbrio de branco pode ser ajustado de várias formas dependendo do programa de edição usado. No Photoshop, basta selecionar a imagem e clicar em Ajuste >  Equilíbrio de cores.

            color balance photoshop for food

              3. Ajuste o brilho/contraste:contraste é a separação entre as áreas mais claras e as áreas mais escuras da sua foto. Aumentar o contraste entre essas áreas vai realçar os detalhes da imagem.
              adjust brightness and contrast of food image
              O ajuste de brilho e contraste varia entre os diferentes programas de edição de imagem. No Photoshop, basta selecionar Camada > Nova Camada de Ajuste > Brilho/Contraste para abrir um painel com controles de ajuste de brilho e contraste.

              Um ligeiro retoque no brilho e no contraste da sua imagem realçará a diversidade de cores, destaques e sombras que ela tem, deixando-a mais atraente.
                4. Ajuste a saturação: para fechar nossas dicas de edição com chave de ouro, recomendamos que você aumente ligeiramente a saturação das suas fotos. A saturação nada mais é que a intensidade das cores da fotografia.

                Na fotografia de gastronomia, cores mais quentes e saturadas tendem a ter uma aparência mais apetitosa. Pense nas cores intensas de um bife avermelhado e suculento, ou nas fatias de uma manga amarelo vivo. Acrescentar um pouco de saturação nas fotos de comida é uma ótima maneira de realçar as cores da imagem e fazer com que ela pareça ainda mais deliciosa. 

                  Essas dicas cobriram apenas algumas técnicas simples de edição de imagem, mas repare na diferença entre as duas fotos:

                  Se você é um editor de imagem experiente, fique à vontade para usar e abusar das técnicas muito mais avançadas que existem por aí, mas lembre-se de que o básico já faz uma grande diferença!

                  Dica de ouro: abuse na criatividade!

                  A post shared by Helga Stentzel (@made_by_helga) on

                  A fotografia de gastronomia é uma expressão artística, não uma ciência exata. As orientações básicas aqui apresentadas vão ajudá-lo a tirar fotos de comida melhores, mas não se restrinja a elas e busque experimentar filtros, técnicas de iluminação e de composição que possam trazer um toque criativo para as suas fotos.

                  Existem inúmeras formas de brincar com a comida para tirar fotos incríveis, portanto, não tenha medo de explorar novas ideias, como usar os alimentos para esculpir uma paisagem ou preparar sobremesas em formato de bichos fofinhos.

                  Ter um olhar exclusivo sobre o conceito da fotografia de gastronomia é um excelente diferencial para as suas fotos. Quanto mais original você for ao pensar as suas imagens, mais chances você terá de chamar a atenção dos usuários que ficam passeando pelo feed das mídias sociais. Afinal, o que realmente importa é atrair pessoas para o seu negócio — e, de quebra, conquistar também seu paladar.

                  Imagem de capa: Burst.


                  Which method is right for you?Sobre a autora

                  Gabriela Jungblut é editora-chefe do blog da Shopify em português, gestora de marketing de conteúdo para o mercado brasileiro, tradutora e intérprete de conferências.

                  Post original em inglês: Harvey Stewart

                  Tradução e localização: Carolina Walliter

                  Você tem dúvidas sobre a Shopify?

                  Escreva um e-mail para a nossa equipe de atendimento em português!

                  atendimento@shopify.com


                  Receba o Newsletter Empreendify